Filosofia

O CAMINHO DO GUERREIRO – WUTE

Atenção classe, sentido! Kinlay!

Wute é simplesmente definido como “ética marcial” ou “moralidade marcial”, ou ainda “virtude marcial”. Como o próprio nome sugere, é a ideia de ética e moralidade na prática das artes marciais chinesas.

Num sentido elevado, a prática das artes marciais conduz ao encontro da harmonia. Tudo começa e termina com Kinlay, o cumprimento tradicional do Kung Fu. De um lado o punho fechado que representa a força de agressão, impulsividade, Yang. Do outro, a palma aberta que detém o ímpeto, acalma, Yin. Sol e lua, duas forças opostas, símbolo do equilíbrio.

Embora Kung Fu seja uma arte marcial, e “marcial” se refira `a guerra, o real sentido da prática é o cultivo da paz, a eliminação do conflito, interno e externo. A dualidade segue presente em nossas vidas, a todo momento. Nesta linha, enquanto o praticante leigo, ou mal encaminhado enxerga que “ainda” tem que fazer mais 50 flexões de braço, o verdadeiro praticante sabe que essas 50 flexões podem fazer a diferença. A filosofia oriental nos leva a enxergar na dor o potencial do crescimento, assim como no problema, um desafio, e a oportunidade de elevação.

O Wute tem uma relação profunda com o desenvolvimento das Artes Marciais Chinesas. Compaixão, Cortesia, Fidelidade, Sinceridade, Justiça, Honra e Coragem são algumas virtudes desenvolvidas durante a prática. Enquanto moralidade e ética são os pilares para o desenvolvimento de qualquer cultura ou civilização, muitas vezes sua aplicação real em nossa sociedade fica em segundo plano. Da mesma forma, em muitos casos, os praticantes de artes marciais desenvolvem quase que exclusivamente o sentido físico da prática. O Wute é muitas vezes esquecido.

A virtude do praticante é o reflexo de suas escolhas, é o direcionamento mental, controle emocional e consequente ação correta. O maior inimigo é o próprio “eu”, este é o verdadeiro combate. Nos trilhos do caminho marcial o praticante suprime os impulsos do ego, desenvolve as virtudes e busca o autoconhecimento. Se há algum objetivo neste caminho, é a paz interior.

Cortesia – “Sim Senhor” na ponta da língua. Pequenas ações exprimem o caráter. O simples fato de sentar de pernas cruzadas e coluna reta no tatame representa integridade na postura, respeito para com o próprio corpo. Permite uma mente alinhada e concentrada, respeito para com o professor e ao ambiente. Uma postura adequada é uma reverência ao tatame, o desleixo não serve. Pernas afastadas e mãos nas costas, humildade. Mãos atrás mostram um sentido pacífico, de não agressão, respeito profundo para com o colega de treino ou o mestre. Posição de guarda, firme, pronto pra luta, olho no olho, fazendo o melhor no treino ou no combate. Kiai estrondoso, cair, levantar, suar no tatame, limpar o tatame, Yin e Yang, dois lados de uma mesma moeda. Viver os dois, sem julgamentos, sem preferências. Cerimônia em todas as ações, concentração para isso. Respeito total, atitude correta.

Coragem e Compaixão – Praticar Arte Marcial e a busca do equilíbrio e da paz, não significa ser uma pessoa que não possa ferir ninguém. Alguém que guarda rancor e não revida por falta de coragem não é necessariamente uma pessoa pacífica, muito menos está em paz. Um Artista Marcial é aquele que tem possibilidade de machucar, mas que opta por ser compassiva. Um ser corajoso porém pacífico. Nesse caminho não há espaço para insegurança ou ansiedade. Amor incondicional para com tudo e todos, compreensão para com a fraqueza ou impulsividade alheia, este é o caminho. O sorriso sincero quebra qualquer cara feia. Por outro lado, isso não significa ser inerte, as vezes o “tapa” é necessário. O Mestre, o pai, “bate” por compaixão, para ajudar, sem rancor, com amor.

Fidelidade e Justiça – Noções de certo e errado relacionam-se sempre a opiniões. Justiça pode ser um conceito confuso, o que é certo para um pode ser errado para o outro. O artista marcial pode lutar contra vários adversários, enxerga golpes em várias direções e ao mesmo tempo. Treina para isso, apanha, não desiste, levanta e continua. Cada dia leva um golpe diferente, que ainda não conhecia, é humilde pois sabe que precisa estar atento e pode cair a qualquer momento. Mas vai aprendendo, melhorando. Golpes são como opiniões, mas aquele que trilha o verdadeiro caminho tem suas defesas, convicções. Pode desviar, envolver, revidar, pois é confiante, tem experiência no combate, nos assuntos da vida, que são iguais. É fiel ao que sabe, mas sabe que não sabe de nada, mesmo assim confia na conduta reta e caminha em busca da justiça, em busca do que é certo. Segue fiel a si mesmo, mas com respeito às opiniões e ao tempo dos outros, pois nada é estático, tudo está em evolução. Aprender e ensinar ao mesmo tempo, são diferentes, porém iguais.

Sinceridade e Honra – O quê você faz quando ninguém está olhando? Talvez este seja um dos aspectos mais importantes que define pessoas honradas. Numa época de muita exposição, onde pessoas tentam mostrar suas alegrias e sucessos nas redes sociais, existe a tentação de viver ou almejar a vida desses que também estão almejando a felicidade, e que não vão conseguir desta maneira. Não há sinceridade nisto. Por outro lado, o tatame é justo e honrado. Nele você chora e ri, não há espaço apenas para sorrisos. Você perde e ganha, não há espaço apenas para as vitórias. Nele você cai e levanta, há ainda menos espaço para lamentos e consolos, só há superação. E nisso há honra, há verdade.

Somos artistas marciais. Estamos trilhando o caminho, desenvolvendo as virtudes. Somos aprendizes do tempo e da vida, mantemos uma “mente de principiante”, prontos para aprender, se adaptar, prontos para evoluir. Quando esquecemos disso, talvez por achar que já sabemos, crescem as ervas daninhas. Wute não deveria ser encarado apenas como uma cartilha a ser apreciada, ou ainda funcionar como belos ideogramas decorativos na parede dos templos ou escolas de artes marciais, mas sim vividos e aplicados para evolução pessoal. Só assim podemos crescer e brilhar, levando luz ao mundo e aos que nos cercam. Este é o verdadeiro sentido de se praticar arte marcial.

Isto é Wute.

Sifu Leandro Romano

 

Confira abaixo as 7 virtudes do guerreiro:

O WUTE É O CAMINHO ATRAVÉS DO QUAL OS PROFESSORES DA ACADEMIA PUNHO DA PANTERA DESENVOLVEM O SEU TRABALHO